iklan

INTERNACIONAL, ECONOMIA, DÍLI, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE

Rui Gomes comunica a Primeiro-Ministro resultados da Cimeira dos Países Menos Desenvolvidos

Rui Gomes comunica a Primeiro-Ministro resultados da Cimeira dos Países Menos Desenvolvidos

Ministro das Finanças, Rui Gomes. Imagem Tatoli/Egas Cristovão.

DÍLI, 13 de março de 2023 (TATOLI) – O Ministro das Finanças, Rui Gomes, encontrou-se com o Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, para o inteirar sobre os resultados da 5.ª conferência da Organização das Nações Unidas sobre os Países Menos Desenvolvidos (LDC, em inglês), que decorreu entre os dias 05 e 09 de março, em Doha. Entre as informações comunicadas sobressaiu a vontade de Timor-Leste permanecer na categoria de países menos desenvolvidos.

Na dita conferência, o ministro acompanhou o Presidente da República, José Ramos Horta, a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno e a Vice-Presidente do Parlamento Nacional, Maria Angelina Sarmento.

Todavia Rui Gomes, na qualidade de Ministro das Finanças, além da cimeira geral, participou em encontros específicos onde a continuação de Timor-Leste com o estatuto de least developed country foi especificamente discutida. Naquela e nestas, Rui Gomes comunicou que, apesar de alguns progressos verificáveis, há dados que configuram um quadro macroeconómico que fazem com que Timor-Leste não reúna condições para passar para a categoria seguinte de país em desenvolvimento.

“Pus o Chefe do Governo a par dos resultados da participação de Timor-Leste na cimeira de alto nível em Doha. Precisamos de tempo para desenvolver e diversificar a economia do país, bem como analisar as fontes de financiamento antes de aderirmos ou sairmos da LDC”, disse o ministro, no Palácio do Governo, em Díli.

Segundo Rui Gomes, se Timor-Leste abandonar o estatuto de LDC, perderá muitos privilégios, o que dificultará o desenvolvimento de Timor-Leste. A este propósito o ministro adiantou que “em 2024, uma equipa do LDC vai avaliar o processo de desenvolvimento do país”.

O ministro referiu que a cimeira permitiu que se reunisse com chefes de Estado de outros países, representantes do setor privado e sociedade civil, bem como com representantes do Parlamento Foinsa’e (parlamento da juventude de Timor-Leste) para se discutir a implementação do compromisso Doha Programe of Action sob o tema geral Husi Potensiál ba Prosperidade.

Recorde-se que o Doha Programe of Action consiste num compromisso formal entre países menos desenvolvidos e seus parceiros de desenvolvimento (governos, sociedade civil e setor privado) para reforçar investimentos em saúde, educação e sistemas de proteção social no sentido de uma maior prosperidade, bem como na prossecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, até 2030.

Notícia relacionada: Timor-Leste quer manter-se na categoria de países menos desenvolvidos da ONU

 Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!