iklan

INTERNACIONAL, ECONOMIA, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE

Timor-Leste quer manter-se na categoria de países menos desenvolvidos da ONU

Timor-Leste quer manter-se na categoria de países menos desenvolvidos da ONU

Ministro das Finanças, Rui Gomes. Fotografia/MF.

DÍLI, 06 de março de 2023 (TATOLI) – Timor-Leste exprimiu o desejo de manter-se na categoria de países menos desenvolvidos na Organização das Nações Unidas (ONU). Este desejo foi formalmente expresso na 5.ª conferência da Organização das Nações Unidas sobre Países Menos Desenvolvidos (LDC, em inglês), a decorrer em Doha. O Ministro das Finanças, Rui Gomes, explicou os motivos que levam Timor-Leste a querer permanecer na categoria dos LDC (Least Developed Countries, em inglês) ao invés de querer transitar para a categoria seguinte, a que se refere aos países em desenvolvimento.

Via comunicado, o Governante recordou “em 2020, o PIB caiu 8,3%, enquanto a taxa de pobreza dos efetivos aumentou para 27%. A recuperação económica em 2021 foi dificultada pelo ciclone Seroja, que resultou em danos na agricultura e em infraestruturas”.

Além disso, Rui Gomes referiu que o país continua a depender das importações, ficando, por isso, vulnerável aos aumentos dos preços causados pela pandemia da Covid-19 e pela guerra na Ucrânia.

“Os níveis de inflação foram muito mais elevados em 2021 e 2022 do que nos cinco anos anteriores. No ano passado, a inflação foi de 7% e espera-se que se mantenha elevada durante os próximos dois anos”.

Rui Gomes frisou que apesar de haver progressos em diversas áreas-chave – como a nutrição, a proteção social, a igualdade de género, entre outras – o país “continua a enfrentar grandes desafios socioeconómicos que exigem compromissos substanciais de despesa pública”, especificando a subnutrição, por exemplo, cuja taxa permanece muito acima da média de outros países da região.

O governante referiu ainda que as taxas de desemprego continuam altas e “a participação da força de trabalho continua globalmente baixa, com 37% para os homens e apenas 24% para as mulheres”.

Posto isto, Rui Gomes, referiu ser essencial uma taxa de progresso mais substancial para que Timor-Leste possa obter o estatuto de País em Desenvolvimento, em conformidade com os objetivos do Programa de Ação de Doha.

Notícia relevante: Timor-Leste vai participar na V Conferência da ONU sobre Países Menos Desenvolvidos

Jornalista: Jesuína Xavier

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!