iklan

ECONOMIA, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE, SAÚDE

ANCT-TL e organizações da sociedade civil pedem novos preços para tabaco

ANCT-TL e organizações da sociedade civil pedem novos preços para tabaco

ANCT-TL e organizações da sociedade civil pedem novos preços para tabaco.

DÍLI, 20 de dezembro de 2021 (TATOLI) – A Aliança Nacional do Controlo do Tabaco em Timor-Leste (ANCT-TL) e organizações da sociedade civil pediram aos ministérios do Turismo, Comércio e Indústria, das Finanças e da Saúde um preço adequado para o tabaco.

“O preço adequado de um maço de tabaco é de cinco dólares e não se devia vender avulso”, pede o Diretor-Executivo da ANCT-TL, Sanches Fernandes, em Mandarim, Díli.

O responsável defende ainda que, em consequência do aumento de preços, o Governo deve controlar o contrabando de tabaco, que, a seu ver, leva à prevalência do tabagismo no país.

“O aumento do preço do tabaco contribuirá para as transações ilegais. De acordo com os dados sobre o contrabando de tabaco em Batugadé, Oé-Cusse e Suai, vêm 11 tipos de embalagens da Indonésia”, referiu.

O diretor felicitou o Parlamento Nacional pela aprovação do aumento dos impostos sobre o tabaco para 50 dólares americanos por quilograma.

Também o Secretário-Executivo da Comissão Nacional da Juventude de Timor-Leste, Mateus Lemos Soares, considera que a subida do preço do tabaco contribuirá para uma população mais saudável.

“As linhas ministeriais têm de ser responsáveis no controlo do preço do tabaco”, apelou.

Na mesma linha, o Diretor-Executivo do Fórum das Organizações Não Governamentais de Timor-Leste (FONGTIL), Daniel do Carmo, sustenta que é melhor prevenir o tabagismo do que curar as doenças que este provoca.

“O aumento da taxa do tabaco ajuda o Governo na aquisição de medicamentos para as doenças não contagiosas e os jovens viverão de forma saudável”, concluiu.

De acordo com os dados da ANCT-TL, 70% dos adultos e 30,9% dos jovens entre os 13 e os 15 anos fumam e mil morrem anualmente. O Governo gasta entre sete a oito milhões de dólares para o tratamento de doenças não contagiosas.

Também o Primeiro-Ministro timorense, Taur Matan Ruak, defendeu um aumento dos impostos sobre o tabaco e bebidas alcoólicas para garantir mais receitas domésticas e uma melhor saúde pública.

Segundo Matan Ruak, a política fiscal não é apenas uma forma de “angariar receitas, mas também uma importante ferramenta de política económico-social”.

O Governo propôs para o próximo ano fiscal um novo aumento do imposto seletivo de consumo, como aconteceu em 2020 e 2021.

O Chefe do Governo recordou que Timor-Leste é apontado pelas organizações internacionais como um dos países com maior prevalência de fumadores, sobretudo entre os jovens. Lembrou também que, ao longo das últimas décadas, vários países têm usado com sucesso o agravamento fiscal para reduzir o consumo de tabaco.

“Assim, com vista a desencorajar o consumo de tabaco, produto altamente prejudicial para a saúde, prevê-se um aumento da taxa de imposto seletivo de consumo aplicável ao tabaco, dos atuais 19 dólares por quilograma para 25 por quilograma, aumento que o Parlamento Nacional sugeriu ao Governo no ano passado”, afirmou.

Notícia relevante: ANCT-TL pretende aumento de 70% no preço do tabaco no próximo ano

Jornalista: Jesuína Xavier

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!