iklan

JUSTIÇA, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE

Lú Olo veta decreto do PN sobre estatuto dos Magistrados Judiciais

Lú Olo veta decreto do PN sobre estatuto dos Magistrados Judiciais

Presidente da República de Timor-Leste, Francisco Guterres “Lú Olo”.

DÍLI, 16 de dezembro de 2021 (TATOLI) – O Presidente da República timorense, Francisco Guterres Lú Olo, vetou o decreto do Parlamento Nacional (PN) sobre o estatuto dos Magistrados Judiciais.

Segundo a constituição da RDTL, o Chefe de Estado tem o poder de promulgar e vetar decretos aprovados pelo Parlamento em sessão plenária ou decretos-lei aprovados pelo Governo no Conselho de Ministros.

“Após uma análise aprofundada, o Presidente da República decidiu vetar o decreto e devolveu-o ao Parlamento Nacional com base no artigo 88º, alínea 1 da Constituição da República”, afirma Lú Olo, num comunicado a que a Tatoli teve acesso.

O documento refere que a Lei da Organização Judiciária já define o estatuto das Magistraturas Judiciais e a jurisdição do Conselho Superior da Magistratura Judicial, que é seguido pelos juízes dos Tribunais Administrativos, Fiscais e de Contas.

Através de uma mensagem enviada ao Parlamento Nacional, o Presidente da República explicou a sua decisão de veto e solicitou aos deputados que revissem o decreto no âmbito da lei sobre a Organização Judiciária.

“O Estatuto dos Magistrados Judiciais deve basear-se nas regras existentes na Lei da Organização Judiciária”, acrescentou.

O Parlamento Nacional irá avaliar todos os fundamentos e submeterá novo estatuto ao Presidente da República numa sessão plenária dentro de 90 dias, a partir da data em que o órgão soberano recebe o decreto que inclui a mensagem do presidente relativamente à sua decisão de veto.

O órgão legislativo tem três opções de revisão do estatuto: confirmar com o mínimo de 33 votos e voltar a submeter ao Presidente da República no prazo de oito dias, com base no artigo 88, n.º 2 da CRDTL; realizar uma expurgação ou alterações com base nas propostas do Presidente da República; não reunir no prazo previsto de 90 dias – neste caso, o decreto caducará.

Recorde-se que o Parlamento Nacional enviou, a 16 de novembro, o diploma em causa ao Presidente da República para promulgação, após aprovação em sessão plenária.

A Lei da Organização Judiciária foi aprovada pelo Presidente Lú Olo e publicada, a 02 de dezembro de 2021, no Jornal da República.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!