iklan

INTERNACIONAL

Pilar sociocultural para adesão à ASEAN é tema de formação para funcionários públicos

Pilar sociocultural para adesão à ASEAN é tema de formação para funcionários públicos

Abertura uma formação sobre o domínio sociocultural, um dos pilares para a adesão do país à ASEAN. Foto da Tatoli/Egas Crsitóvão

DÍLI, 28 de fevereiro de 2024 (TATOLI) – Quarenta e um funcionários públicos das direções nacionais de Florestas e de Turismo e Ambiente frequentaram uma formação sobre o domínio sociocultural, um dos pilares para a adesão do país à Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

O Secretário de Estado das Florestas, Fernandino Vieira, destacou a importância da formação para reforçar a capacidade das equipas técnicas das duas instituições com vista a preparar os recursos humanos para a adesão de Timor-Leste à organização regional, prevista para o próximo ano.

“A formação incidiu, principalmente, sobre as medidas de combate e de prevenção de incêndios florestais, o estabelecimento de relações de cooperação na gestão de catástrofes, bem como a reflorestação. Estas três questões são importantes para que Timor-Leste, caso seja aceite como novo membro no futuro, cumpra as suas obrigações na adoção dos acordos estabelecidos na organização”, informou o governante, em Díli.

Fernandino Vieira afirmou que a adesão do país à ASEAN trará vantagens no que diz respeito ao combate aos incêndios florestais e à mitigação e prevenção de catástrofes naturais.

Já o Presidente da Autoridade Nacional Designada (AND) para as Alterações Climáticas, Pedro da Costa, um dos participantes da formação, referiu que nesta foram abordadas técnicas de desenvolvimento de infraestruturas resistentes a catástrofes naturais, semelhantes às utilizadas em países como Singapura e Tailândia.

O dirigente adiantou ainda que, em termos de mitigação e prevenção das alterações climáticas, a AND, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, implementou vários projetos de infraestruturas básicas como irrigação, canalização de água, construção de estradas nos municípios de Baucau, Viqueque, Lautém, Aileu e Liquiçá.

Pedro da Costa recordou que desde 2019 Timor-Leste mobilizou 65 milhões de dólares americanos do Fundo Verde para o Clima com vista a implementar um projeto de alerta precoce através do estabelecimento de antenas e radares para expandir a cobertura regional com informações meteorológicas com base nos padrões da Organização Mundial de Meteorologia, alterações climáticas, biodiversidade e degradação do solo.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!