iklan

POLÍTICA, INTERNACIONAL, ECONOMIA, HEADLINE

Timor-Leste: Países industrializados devem reduzir efeito de estufa

Timor-Leste: Países industrializados devem reduzir efeito de estufa

Secretário de Estado do Ambiente (SEA), Demétrio do Amaral de Carvalho.

DÍLI, 17 de novembro de 2022 (TATOLI) – O Governo de Timor-Leste, através do Secretário de Estado do Ambiente, Demétrio do Amaral, pediu aos países desenvolvidos que contribuíssem para a redução da emissão de gases com efeito de estufa.

Para Demétrio Amaral, a contribuição dos países industrializados ou Grupo dos Vinte (G20) pode contribuir em grande escala para a redução das emissões globais.

“Pedimos aos países desenvolvidos que se mantenham empenhados em contribuir para a paz e para a redução das emissões de gases com efeito de estufa, pois 80% daquelas são provenientes dos países do G20”, afirmou o governante à margem de uma conferência de imprensa sobre os resultados preliminares da participação de Timor-Leste na 27.ª Conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas (COP27), a decorrer até 18 de novembro, em Sharm El Sheikh, no Egito.

Na conferência, Timor-Leste sugeriu medidas passíveis de serem adotadas pelos países desenvolvidos  para compensar os danos que estes causam no aquecimento global e que afetam  55 países subdesenvolvidos e pequenos Estados insulares, incluindo Timor-Leste.

O impacto das mudanças climáticas faz com que alguns países insulares estejam ameaçados em consequência do aumento do nível do mar.

Este ano, o mundo sofreu várias catástrofes naturais, tais como a que aconteceu no Paquistão, onde morreram mais de mil pessoas, e secas na China, Estados Unidos e África, que causaram a morte de animais.

Demétrio Amaral considerou que, com esta alteração climática, os pequenos países e insulares sofrem duplamente. O mundo enfrenta uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia que tem impacto no aumento dos preços dos alimentos e da energia.

O chefe da delegação de Timor-Leste na COP27 defendeu também que os países que mais emitem gases tóxicos na atmosfera devem também ter maior contribuição para o fundo global, que busca mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Ou, por outras palavras: “Quem polui mais, paga mais”.

Notícia relevante: COP27: Secretário timorense defende que quem polui mais, paga mais

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!