iklan

ECONOMIA, COVALIMA, HEADLINE, NACIONAL, NOTÍCIAS DE HOJE

PM lança primeira perfuração de petróleo em Covalima

PM lança primeira perfuração de petróleo em Covalima

Primeiro-Ministro, Tuar Matan Rauk, lança primeira perfuração de petróleo em Covalima. Imagem Tatoli/Jogerjo Guterres.

COVALIMA, 27 de outubro de 2021 (TATOLI) – O Primeiro-Ministro (PM), Taur Matan Ruak, lançou a primeira perfuração do poço de petróleo de Feto Kmaus em Covalima, que será executada pela empresa Timor Resources e o seu consórcio Timor Gap.

“Agradeço o apoio da população, pois passámos por muitos processos. Os nossos anciões já realizaram o ritual para pedir a benção aos nossos antepassados”, afirmou o Primeiro-Ministro, no Aeroporto Kay Rala Xanana Gusmão, em Covalima.

O PM disse que a indústria petrolífera traz riscos para a vida humana e o ambiente, por isso precisamos de nos apoiar mutuamente.

“Peço ao administrador municipal que mantenha o apoio às empresas Timor Resources e Timor Gap, pois estão a fazer um bom trabalho”, pediu.

O lançamento do processo de perfuração contou com a presença dos membros do Governo, autoridades locais e a população de Covalima.

A pesquisa começou em 2017

A  Timor Gás e Petróleo, Empresa Pública (Timor GAP, E.P)  começou a pesquisa em 2017.

A equipa conjunta da Timor GAP e da empresa petrolífera australiana Timor Resources, Pty Ltd começou a pesquisa geológica e estudo sísmico do bloco A e do bloco C em outubro de 2018 na zona de Betano.

Segundo a estimativa, a perfuração chegaria aos dois mil metros de profundidade, com o custo de 35 milhões de dólares americanos.

Caso a perfuração de petróleo tivesse sucesso em Covalima, as empresas continuariam  o trabalho em dois locais de Betano-Manufahi.

Os cinco locais de perfuração dividem-se pelos blocos A, B e C, nos municípios de Covalima, Maliana, Ainaro e Manufahi. A Timor Gap detém 100% dos direitos de operação no projeto de perfuração em terra.

O projeto, com a duração de sete anos, divide-se em várias etapas: um ano de pesquisa, outro de estudos, dois de perfuração e a exploração começará no quinto ano.

Contrato de partilha de perfuração em dois blocos

Antes de realizar o projeto na costa sul, que inclui a perfuração de poços de petróleo em terra, a Autoridade Nacional de Petróleo e Minerais preparou um contrato de partilha de perfuração em Covalima e Manufahi.

A Timor Resources e a Timor Gap identificaram dois potenciais locais de exploração em Manufahi.

Recorde-se que, em 2015, o Conselho de Ministros tinha autorizado a Timor Gap a procurar parceiro para o projeto de perfuração, parceiro esse que veio a ser a Timor Resources.

As duas empresas assinaram um contrato de partilha dos trabalhos a 50% e chamaram a esta parceria ‘Product Sharing Contract’ em Covalima e Manufahi.

O estudo e a recolha de dados do subsolo nos dois municípios decorreu entre 2017 e 2019. As empresas apresentaram cinco potenciais locais à Autoridade Nacional de Petróleo e Minerais. Porém, a ANPM optou apenas por três locais em Covalima e Manufahi.

Timor Resources obteve licença ambiental

De acordo com o plano inicial, a Timor Resources pretendia realizar perfurações em terra em Covalima, na Aldeia Karau, no Suco Matai, Posto Administrativo de Maucatar, durante 40 dias. No entanto, acabou por realizar a operação na Aldeia Sanfuc, Suco Camenaça, no Posto Administrativo de Suai Vila.

Os trabalhos de perfuração começaram em julho de 2021. O Ministério do Petróleo e Recursos Minerais e a ANPM atribuíram a licença ambiental à empresa Timor Resources PTY, Ltd para perfurar na costa sul.

A decisão de atribuição da licença foi tomada, depois de concluído o estudo técnico ambiental, pelos ministérios das Obras Públicas, do Petróleo e Recursos Minerais e da Administração Estatal e pela Secretaria de Estado do Ambiente.

Jornalista: Celestina Teles/Tradutora: Jesuína Xavier

Editor: Cancio Ximenes

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!