iklan

INTERNACIONAL, DÍLI, NOTÍCIAS DE HOJE

PAM: 63% a 85% das famílias timorenses não podem pagar alimentos saudáveis

PAM: 63% a 85% das famílias timorenses não podem pagar alimentos saudáveis

Image processed by CodeCarvings Piczard ### FREE Community Edition ### on 2017-11-17 09:41:39Z | http://piczard.com | http://codecarvings.com

DÍLI, 25 de agosto de 2021 (TATOLI) – O Representante do Programa Alimentar Mundial em Timor-Leste (WFP-TL, em inglês), Dageng Liu, disse que 63% a 85% dos agregados familiares em Timor-Leste não podem pagar alimentos saudáveis.

O representante salientou que a principal causa de uma dieta pobre é a desnutrição em todas as suas formas – subnutrição e má nutrição. Este tipo de alimentação acontece devido ao alto custo de alimentos nutritivos e ricos em proteínas, necessários para uma dieta saudável – carne, laticínios, frutas, vegetais – o que a torna mais cara do que uma dieta suficiente apenas em energia (principalmente, com alimentos à base de cereais e raízes).

“Em Timor-Leste, o custo diário de uma dieta nutritiva é de cinco dólares e 68 cêntimos, enquanto a dieta só de energia é de um dólar e 64 cêntimos. A primeira é três vezes mais cara do que a segunda. Além disso, o custo mensal da dieta apenas de energia varia entre os 32 e os 60 dólares, enquanto as dietas nutritivas custam entre 158 e 211 dólares para uma família de cinco pessoas”, disse Dageng Liu, à Tatoli no seu local de trabalho, em Caicoli.

Dageng Liu acrescentou que apenas 15% a 37% dos agregados familiares em Timor-Leste são capazes de pagar dietas nutritivas que vão ao encontro das necessidades de proteína e micronutrientes. Por outro lado, cerca de 63% a 85% das famílias não podem pagar estas dietas saudáveis.

“Este ano é um ano especial porque o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, pede aos participantes na Cimeira dos Sistemas Alimentares, a ser realizada durante a Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque a 23 de setembro, a preparação do terreno para a transformação dos sistemas alimentares globais de modo a atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em 2030”, disse.

O responsável revelou que “estamos muito orgulhosos de ver o envolvimento e forte compromisso do Governo de Timor-Leste nesta cimeira sobre os sistemas alimentares. Timor-Leste precisa de aprender muito com o mundo, mas também tem muito a partilhar com ele”.

Recorde-se que, para promover dietas saudáveis e alimentos nutritivos no país, no dia 9 de agosto, o Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, lançou um Programa Nacional de Prémios de Nutrição com o intuito de promover as melhores práticas internacionais e os métodos mais avançados a serem adaptados em Timor-Leste, também para atingir a meta nacional de erradicação da fome e da desnutrição, prevista no Plano Estratégico de Desenvolvimento Nacional (PEDN) e nos compromissos assumidos pelo País nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Jornalista: Afonso do Rosário

Editor: Zezito Silva

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!