iklan

ÚLTIMAS NOTÍCIAS, JUSTIÇA, DÍLI, NACIONAL, NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA, NOTÍCIAS DE HOJE

Deolindo dos Santos e Alfonso Lopez tomam posse hoje

Deolindo dos Santos e Alfonso Lopez tomam posse hoje

Imagem Tatoli /Egas Cristovão.

DÍLI, 29 de abril de 2021 (TATOLI) – O Presidente da República, Francisco Guterres Lú Olo, deu hoje posse a dois dirigentes da área judicial, o Presidente do Tribunal de Recurso, Deolindo dos Santos, e o Procurador-Geral da República, Alfonso Lopez, no Palácio Presidencial em Aitarak Laran.

Segundo o Presidente da República, esta cerimónia de Tomada de Posse do Presidente do Tribunal de Recurso é um sinal incontestável de um trabalho continuado na promoção de uma justiça mais rápida, de melhor qualidade e cada vez mais próxima do cidadão respondendo aos seus desejos.

“É minha expectativa que [Deolindo dos Santos] continue a sua missão dando sempre o melhor de si, traduzido no saber e inteligência já demonstrados, na força das convicções, competência, dedicação e espírito de missão que demonstrou ao longo do primeiro mandato como Presidente do Tribunal de Recurso”, disse o Presidente da República no seu discuro na cerimónia de Tomada de Posse, no Palácio Presidencial em Aitarak Laran.

O Presidente da República referiu ainda que, como Chefe de Estado, deposita a maior confiança no juiz Deolindo dos Santos, bem como em todo o coletivo de juízes do Tribunal de Recurso, pois são juízes experientes e de reconhecido mérito demonstrado na progressão das suas carreiras.

“Parabéns e votos calorosos do maior êxito no exercício do mandato por uma justiça célere e cada vez mais próxima dos cidadãos”, referiu.

O Chefe de Estado pediu ao magistrados do Ministério Público e quaisquer outros atores que fazem parte do sistema de justiça formal que impeçam a intervenção político-partidária nas suas atividades.

“As suas atividades não devem ser também politizadas (ou pior, partidarizadas) para satisfazer uma determinada força política partidária. Quaisquer preferências político-partidárias não devem ser misturadas com atividades profissionais”, revelou.

Lú Olo salientou ainda que, perante as tarefas pertencentes ao Ministério Público, é necessário que haja condições e estruturas adequadas.

“Não é justo exigir o cumprimento de deveres sem haver condições ou facilidades de apoio necessárias ao desempenho de atividades, por isso, é preciso que se faça a atualização de condições ou facilidades para poderem contribuir para o exercício das funções dos magistrados do Ministério Público”, afirmou.

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editor: Zezito Silva

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!