iklan

INTERNACIONAL, ECONOMIA, DÍLI, NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA, NOTÍCIAS DE HOJE

Fidélis anuncia novo líder para ESCAP

Fidélis anuncia novo líder para ESCAP

Coordenador dos Assuntos Económicos, Fidélis Manuel Leite Magalhães.

DÍLI, 20 de maio de 2020 (TATOLI) – O Presidente da Comissão Económica e Social para a Ásia-Pacífico das Nações Unidas (ESCAP) e atual Ministro da Reforma Legislativa e Assuntos Parlamentares (MRLAP), Fidélis Manuel Leite Magalhães, presidiu ao sétimo fórum da Ásia-Pacífico por videoconferência, onde foram eleitos o novo Presidente e Vice- Presidente para um mandato de um ano.

Após o término do fórum, Fidélis recordou, em declarações aos jornalistas, que a ESCAP consiste numa comissão que trata dos assuntos económicos e sociais dos países da Ásia-Pacífico, incluindo Timor-Leste.

“Após a terminar a sessão de abertura do fórum, iniciámos o processo de eleição, quer do Presidente da ESCAP quer do seu Vice-Presidente. Depois da contagem dos votos, um líder do Sri Lanka foi eleito presidente, enquanto um representante das Filipinas foi nomeado novo vice-presidente. Os dois coordenadores vão dirigir o fórum da ESCAP para um mandato de um ano”, disse.

Fidélis referiu ainda que, durante a sessão, foi dado destaque ao desenvolvimento sustentável dos países através das reformas económicas e sociais, tanto a nível regional como global.

“Falámos sobre o desenvolvimento sustentável dos países no sentido de ajudar a resolver um conjunto de questões económicas e sociais, assente num modelo de economia inclusiva que durará até 2030”, informou.

Segundo Fidélis, Timor-Leste vai apresentar um conjunto de propostas que visam proporcionar o bem-estar e reforçar a capacitação dos cidadãos. Além disso, pretende-se colaborar com todos os países na implementação de agendas de desenvolvimento equilibrado e inclusivo, nomeadamente na questão da proteção do meio ambiente e na promoção de uma alimentação nutritiva.

O ministro lembrou ainda que, durante o seu mandato como Presidente da ESCAP, Timor-Leste conseguiu que a sociedade civil timorense se envolvesse no processo de desenvolvimento e construção do Estado, tendo demonstrado progressos assinaláveis.

“A sociedade civil tem pouco impacto em alguns países. Apesar deste contratempo, a sociedade timorense juntamente com o seu Governo deram um importante contributo para o processo de desenvolvimento do país”, afirmou.

“Durante o mandato, o país trabalhou em estreita cooperação com todos os países-membros da ESCAP para alcançar o desenvolvimento económico e social da região Ásia-Pacífico.

Agora, temos um novo desafio, o de garantir a prosperidade até 2030”, acrescentou.

De acordo com o governante, ainda subsistem sinais de pobreza na região da Ásia Pacífico, o que contribui para as desigualdades sociais.

“O mundo ainda não conseguiu resolver a questão da pobreza, bem patente em países como a Índia, Bangladesh, Indonésia, Paquistão, China, entre outros”, afirmou.

Fidélis recordou ainda que, no seu mandato, Timor-Leste fortaleceu a cooperação com todas as associações regionais menos ricas afetas à ESCAP, sublinhando, no entanto, que faltam enfrentar problemas referentes à parte sul da região.

Recorde-se que a ESCAP é uma das cinco comissões regionais do Conselho Económico e Social das Nações Unidas, criado em 1947.

A ESCAP tem como objetivo incentivar a cooperação entre os seus 53 Estados membros e nove membros associados, países onde residem mais de dois terços da população mundial. Além da Ásia e do Pacífico, inclui a França, Holanda, Reino Unido e Estados Unidos.

Jornalista: Natalino Costa
Editora: Julia Chatarina

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!