iklan

ECONOMIA, NOTÍCIAS DE HOJE

Lançadas novas variedades híbridas de sementes resilientes e produtivas

Lançadas novas variedades híbridas de sementes resilientes e produtivas

Lançadas novas variedades híbridas de sementes resilientes e produtivas. Foto da Tatoli/António Daciparu

DÍLI, 25 de outubro de 2023 (TATOLI) — Intensificar a produção de milho, de arroz e de feijão em Timor-Leste é o objetivo do lançamento de resultados de investigação da Direção Nacional da Pesquisa e Estatística do Ministério da Agricultura, Pecuária, Pesca e Florestas (MAPPF). Os resultados foram apresentados no Salão Paroquial da Catedral de Vila Verde, em Díli, esta terça-feira e tiveram a comparência do Presidente da República, José Ramos Horta e do Ministro da Agricultura, Pecuária, Pesca e Florestas, Marcos da Cruz.

A investigação incidiu sobre variedades híbridas (que resultam de misturam o património genético de diferentes plantas) de milho de Timor, de arroz vermelho (hare mean), bem como feijões (koto badak e duhaen). Os resultados demonstraram que estas variedades híbridas possuem uma maior adaptabilidade ao clima, uma maior resiliência às adversidades (pragas de insetos), conduzem a uma maior produtividade e são procuradas por agricultores. O próximo passo é distribuí-las aos agricultores timorenses.

Além disso, foi também lançado o biochar, um adubo orgânico que resulta de um material carbonizado produzido por um processo químico designado de pirólise de biomassa e que tem como matéria-prima entre outros resíduos orgânicos biodegradáveis como por exemplo a casca de arroz ou neli. Na pirólise, a biomassa é transformada em adubo através de um processo de conversão termoquímica (combinação de processos térmicos e químicos) e anaeróbico, isto é, realizado na ausência de oxigénio.

Marcos da Cruz destacou a importância de garantir a segurança alimentar no país. Para o efeito, na opinião do governante, é necessário garantir a qualidade de sementes com eficiência e eficácia, bem como apoiar a mobilização de todos os recursos para aumentar a produção agrícola no país. “O ministério continua a esforçar-se para promover as novas variedades de produtos importados e locais para que possam aumentar a produção no país, sobretudo as variedades híbridas que têm as suas próprias características e que foram testadas ao longo dos anos em diferentes ambientes nas zonas agroecológicas. Estas novas variedades podem adaptar-se às condições ambientais e demonstrar resistência a doenças e pragas, garantir uma alta produtividade e satisfazer a procura dos agricultores”, referiu o ministro, em Díli.

Marcos da Cruz recordou que o ministério tinha lançado entre 2007 e 2012, cerca de 20 variedades híbridas de sementes no país, incluindo mandioca, batata-doce, milho, arroz, entre outros.

O Investigador da Direção Nacional da Pesquisa e Estatística, Marcos Verdial, por seu turno, informou que mais de 40 funcionários estão destacados nos centros de investigação de Betano, do município de Manufahi, de Loes, do município de Liquiçá, de Darsula, do município de Baucau e de Urlefa, do município de Bobonaro, para continuarem a efetuar estudos relativos à agroecologia em Timor-Leste.

Questionado sobre o processo de investigação, Marcos Vidal explicou que os investigadores têm de preparar sementes, condições do terreno e equipamentos. O responsável acrescentou que a duração dos trabalhos de investigação no terreno relativos ao arroz vermelho (hare mean) em Venilale duraram cinco anos e garantiram a qualidade uma maior nutritiva do que o restante arroz.

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!