iklan

INTERNACIONAL, DÍLI

Nações de ilhas e arquipélagos querem fomentar economia azul

Nações de ilhas e arquipélagos querem fomentar economia azul

Logotipo da 1.ª reunião de Alto-Nível do Fórum dos AIS (Fonte aisforum.org)

DÍLI, 09 de outubro de 2023 (TATOLI) – No dia 10 deste mês vai decorrer, em Bali, Indonésia a 1.ª reunião de Alto-Nível do Fórum dos Estados Insulares e Arquipelágicos (AIS) sob o tema Fomentando a colaboração, permitindo a inovação. Pelo nosso oceano e pelo nosso futuro. O encontro contará com a presença do Primeiro-Ministro, Xanana Gusmão.

Segundo uma fonte da comissão organizadora do AIS, os 51 chefes de Estado e de Governo dos países AIS irão reunir-se para discutir três temáticas: Economia Azul no alcance da agenda de 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Nosso Oceano, Nosso Futuro e Solidariedade entre os membros dos AIS.

De acordo com a mesma fonte, esta reunião de alto nível será uma oportunidade para reconhecer formalmente o desejo de união entre os AIS no desenvolvimento de soluções inteligentes e inovadoras que façam face aos desafios partilhados de desenvolvimento e ambientais.

A economia azul engloba um conjunto de atividades relacionadas com a pesca, a aquicultura, o turismo azul, a construção naval,  as energias renováveis no mar, a biotecnologia azul, a robótica marinha, modos de utilização dos portos e transportes marítimos, entre outras possibilidades. Diz-nos o Wikipédia que a economia azul pode ser vista como “uma lente através da qual se pode ver e desenvolver uma agenda política que simultaneamente melhore a saúde dos oceanos e o crescimento económico, de uma forma consistente e respeitando os princípios da equidade e da inclusão social”.

Na atualidade, a economia azul gera mais de 5,5 milhões de empregos e angaria mais de 500 mil milhões de dólares anualmente. Consciente desta realidade, no Fórum da AIS vão debater-se e explorar-se possibilidades de cooperação sustentáveis na área da Economia Azul, dado que todos os seus integrantes possuem costas marinhas consideráveis e ecossistemas marítimos sob ameaça.

De recordar que, no caso de Timor-Leste, o Projeto Economia Azul apoiou, no ano passado, cerca de 50 produtores de algas marinhas em Ataúro. O projeto começou em 2021, com fundos da ONU e do PNUD, para prestar apoio técnico e financeiro de modo a desenvolver o seu primeiro “Roteiro de Financiamento da Economia Azul”. O Projeto Economia Azul permite, dizem os entendidos, uma utilização sustentável dos recursos oceânicos para o desenvolvimento económico e para a melhoria dos meios de subsistência, no caso de grupos de mulheres, preservando ao mesmo tempo a saúde dos ecossistemas oceânicos. Timor-Leste tem potencialidades para se desenvolver na economia azul, tendo já construído alguns tanques de aquacultura.

O Fórum dos AIS foi criado na sequência da Conferência das Nações Unidas sobre os Oceanos, em 2017, com o objetivo de promover a colaboração e a cooperação concreta para o desenvolvimento entre os Estados arquipelágicos e insulares dos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. O fórum tornou-se uma plataforma influente para abordar questões cruciais entre os seus países membros desde a sua criação e continuará a expandir o seu trabalho para combater certas questões a este respeito.

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!