iklan

EDUCAÇÃO, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE

Autores da ‘História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste’ veem trabalho prolongado

Autores da ‘História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste’ veem trabalho prolongado

DÍLI, 01 de setembro de 2023 (TATOLI) – O Governo estendeu o trabalho do Comité Orientador 25 (CO25) por mais cinco anos para que este continue a elaborar a obra História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste.

O COP25 é uma instituição criada por resolução do Governo em 2017 e é composta por vinte e cinco organizações juvenis da Resistência. O CO25 tem como objetivo levar a cabo uma ampla investigação sobre o envolvimento da juventude na luta pela libertação nacional e como resultado escrever um livro sobre a história da Resistência de Timor-Leste.

A História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste pretende ser a coleção mais completa da história contemporânea de Timor-Leste, focando-se nos inícios dos anos 70 e historiando, com o maior pormenor possível, os acontecimentos seguintes. Timor-Leste tem tido alguma produção impressa e editada proveniente de alguns líderes da resistência, hoje e num passado recente, chefes de governo ou de Estado. Todavia, a maioria esmagadora foca-se em acontecimentos localizados ou em biografias extensivas. Falta, portanto, bibliografia que se refira à história de Timor-Leste de um modo objetivo e desapaixonado. A História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste pretende ser um acervo histórico que apague esta lacuna e, eventualmente, possa servir de fonte para currículos escolares na área tão necessários a nível de conteúdos da história nacional.

A Diretora-Executiva do CO25, Eugénia Correia, afirmou que “a prorrogação do mandato vai permitir que o Comité tenha mais tempo para fazer pesquisas e escrever a História de forma mais detalhada”, disse a dirigente, via telefone.

O CO25 propôs-se a escrever História da Resistência e dos Estudantes de Timor-Leste em seis volumes, sendo que o primeiro já foi entregue aos líderes nacionais. Segundo Eugénia Correia,  “a investigação levada a cabo pelo Comité prioriza a história da luta da libertação nacional, não sendo, portanto, uma obra biográfica”.

O CO25, constituído por uma equipa de técnicos e de 11 investigadores, tem encontrado, desde o seu  estabelecimento, várias dificuldades, “sobretudo relacionadas com a transferência pendente do orçamento para realizar pesquisas, bem como a propagação do novo coronavírus”, lamentou a dirigente.

Recorde-se que o Governo aprovou, no passado dia 27 de agosto, o projeto de Resolução do Governo para a prorrogação do mandato do CO25, produzindo efeitos, retroativamente, a partir de 9 de janeiro de 2022. Ainda segundo fonte governamental, as despesas e encargos decorrentes da prossecução das atribuições do CO25 estão sujeitos ao regime aplicável à concessão de subvenções públicas, imputáveis às verbas inscritas no orçamento anual do Ministério da Educação.

Notíci relevante: CO25 e CAMSTL assinam acordo de serviço de cooperação

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!