iklan

INTERNACIONAL, ECONOMIA

Eugénio Lemos vence Prémio Ramon Magsaysay

Eugénio Lemos vence Prémio Ramon Magsaysay

Diretor-Executivo da Permatil, Ego Lemos.

DÍLI, 31 de agosto de 2023 (TATOLI) – Eugénio Lemos, Diretor-Executivo da Organização Não-Governamental Permacultura de Timor-Leste (Permatil), venceu o Prémio Ramon Magsaysay de 2023, na categoria de Soberania Alimentar.

O Presidente da Fundação Ramon Magsaysay, Aurelio Montinola, descreveu Eugénio Lemos como um visionário da soberania alimentar, pois a sua iniciativa permite promover a agricultura tradicional através da implementação de um programa de conservação de água em 60 aldeias e da construção de jardins em 254 escolas.

O prémio Soberania Alimentar consiste num reconhecimento formal a projetos que incidindo sobre problemas sentidos, facilitem a agricultura ou meios que a subsistam e que, não envolvendo recursos complexos ou dispendiosos, tenham um impacto mesurável em comunidades ou abarquem populações específicas, no sentido de assegurar um processo sustentável que resulte na produção de alimentos acessíveis, de valor nutritivo (incluindo acesso a água e irrigação) e fomentem fontes de rendimento para os agentes envolvidos

Em entrevista à Tatoli, o premiado Eugénio Lemos contou que foi com “surpresa” que recebeu a notícia. “Ontem, a equipa filipina responsável pela atribuição de prémios contactou-me, pedindo-me para lhes enviar uma fotografia minha, foi aí que tomei conhecimento de que fui um dos vencedores.  O nosso trabalho foca-se sobretudo na segurança alimentar, pois a base da soberania alimentar é a água, as sementes e o solo para cultivar os produtos”.

O dirigente recordou que, em abril, alguns elementos da fundação o entrevistaram sobre as atividades da Permatil, nomeadamente sobre a implementação do programa de jardins escolares e de conservação de água.

Segundo o dirigente, este prémio é um reconhecimento do serviço promovido pela Permatil e espera que no futuro a organização possa cooperar com o Governo para ajudar a população a ter acesso a alimentos nutritivos de modo a contribuir para a redução da subnutrição em Timor-Leste.

O Prémio Ramon Magsaysay, na categoria de Saúde, foi atribuído a Ravi Kannan R, da Índia. Na categoria Mulheres Pioneiras na Construção da Paz, Miriam Coronel-Ferrer, das Filipinas, foi a vencedora e, finalmente, na categoria de Educação, o premiado foi Korvi Rakshand, do Bangladesh. A cerimónia de entrega dos prémios vai decorrer no dia 11 de novembro, nas Filipinas.

O Prémio Ramon Magsaysay, o principal prémio e a mais alta distinção asiática, celebra a grandeza de espírito e a liderança transformadora na Ásia. Desde 1958, o Prémio Ramon Magsaysay foi atribuído a mais de trezentos indivíduos e organizações, cujo serviço altruísta ofereceu às suas sociedades, à Ásia e ao mundo, soluções bem sucedidas para alguns dos problemas mais difíceis do desenvolvimento humano.

Recorde-se que o Prémio Ramon Magsaysay também já foi atribuído ao ex-Presidente do Parlamento Nacional, Aniceto Guterres e à Mana Lú, Fundadora do ISMAIK.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!