iklan

INTERNACIONAL, HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE

Japão doa 100 mil dólares para apoiar participação das mulheres nas eleições

Japão doa 100 mil dólares para apoiar participação das mulheres nas eleições

Imagem da Embaixada do Japão.

DÍLI, 11 de outubro de 2021 (TATOLI) – O Governo do Japão doou 100 mil dólares americanos, através do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da ONU Mulheres, para promover a participação das mulheres nas eleições no âmbito da covid-19.

“Timor-Leste regista um progresso notável na promoção da participação das mulheres na vida política, a nível nacional, nos últimos anos. Enfrenta ainda muitos desafios, tais como estereótipos e preconceitos baseados no género – profundamente enraizados na sociedade – normas sociais e culturais injustas, falta de apoio familiar e comunitário, acesso limitado à rede política e falta de apoio adequado no desenvolvimento de competências”, disse Munkhtuya Altangerel, a representante residente do PNUD em Timor-Leste, numa nota de imprensa a que a Tatoli teve acesso.

O documento refere ainda que a doação se relaciona com os objetivos do PNUD e da ONU Mulheres em termos de colaboração e promoção da igualdade de direitos de mulheres e homens na participação política através das redes sociais e canais de vários órgãos de comunicação social, bem como para desenvolver normas de igualdade de género e atitudes transformadoras que permitam a participação igualitária e representação das mulheres nas eleições.

O comunicado sublinha que a crise global provocada pela pandemia veio afetar ainda mais a situação das mulheres. No entanto, o fundo pode garantir a segurança pública durante o processo democrático e fortalecer a voz das mulheres e grupos marginalizados em cargos de tomada de decisão após a recuperação da situação de crise e o regresso à normalidade.

Já a Chefe do Gabinete da ONU Mulheres em Timor-Leste, Nishtha Satyam, disse que o país apresenta progressos relativamente à participação das mulheres na política.

“No ano passado, 38% dos assentos no Parlamento Nacional eram ocupados por mulheres, o que está acima da média regional (19%) e da média global (26%)”, referiu.

Nishtha Satyam realçou na nota que é necessário as mulheres tomarem posse de cargos em autoridades locais, pois, em 2016, eram apenas 21 (4%) eleitas como chefes de suco.

“A ONU Mulheres está empenhada em preencher algumas dessas lacunas para permitir uma participação e representação mais significativa das mulheres nas próximas eleições em Timor-Leste” conclui.

Jornalista: Jesuína Xavier

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!