iklan

INTERNACIONAL, NOTÍCIAS DE HOJE

Timor-Leste receberá este mês 12 mil doses da vacina AstraZeneca, uma doação de Portugal

Timor-Leste receberá este mês 12 mil doses da vacina AstraZeneca, uma doação de Portugal

Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, e a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação timorense, Adaljiza Magno. Imagem do MNEC.

PORTUGAL, 10 de julho de 2021 (TATOLI) – O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, revelou que Portugal apoiará Timor-Leste com 12 mil doses da vacina da AstraZeneca.

O governante português falava à margem do encontro com a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação timorense, Adaljiza Magno, no seu local de trabalho, em Lisboa, Portugal.

“Numa altura como esta, o principal é apoiar a vacinação contra a covid-19. No próximo dia 19 de julho, sairá de Portugal um voo para Timor-Leste com o primeiro lote de 12 mil vacinas da AstraZeneca no quadro de doação de vacinas adquiridas pelo Estado português para os países de língua portuguesa em África e na Ásia”, disse o governante português.

Augusto Santos Silva salientou ainda que este será o primeiro lote da operação, que continuará ao longo deste semestre.

Já a Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno, disse que Timor-Leste fica satisfeito com o auxílio do Estado português.

“Este apoio vai aumentar a vacinação da população em Timor-Leste”, referiu.

Recorde-se que, até 08 de julho, Timor-Leste já recebeu 404.800 doses da vacina. Do total de doses da vacina da AstraZeneca recebidas, 124.800 chegaram através do mecanismo COVAX e 180 mil vieram da Austrália. As 100 mil doses da vacina da Sinovac foram uma doação do Executivo da China.

Timor-Leste e Portugal abordam cooperação em diversas áreas

A ministra Adaljiza Magno e o seu homólogo português, Augusto Santos Silva, durante o seu encontro oficial, discutiram também sobre cooperações bilaterais em diversas áreas.

“Discutimos diversas áreas de cooperação entre os dois países, no setor da concertação política, educação, agricultura e no campo multilateral. Outras prioridades, como o desenvolvimento da língua portuguesa e da qualidade da educação em Timor-Leste, foram igualmente debatidas”, disse a ministra após a sua primeira visita oficial ao estrangeiro desde a tomada de posse.

Já o ministro Augusto Santos Silva agradeceu à homóloga timorense o seu primeiro encontro entre os dois países.

“Tivemos oportunidade de ter uma longa conversa, tão longa quanto amiga. Pelo que considero este encontro o início de uma grande amizade. Começámos por fazer o ponto da situação das relações bilaterais, absolutamente excelentes, entre Portugal e Timor-Leste, muito próximas de grandes convergências”, referiu.

Os dois governantes discutiram ainda a cooperação bilateral entre a União Europeia (UE) e Timor-Leste e a preparação da Cimeira da CPLP em Luanda, Angola. Portugal considera o Estado timorense um país parceiro da UE.

“Queria destacar, no campo das relações bilaterais, os programas de cooperação que estão em curso entre Portugal e Timor-Leste, em particular no que diz respeito ao combate à pandemia da covid-19”, frisou.

O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal agradeceu ainda ao Governo timorense a possibilidade de repatriamento dos cidadãos portugueses no mês de abril do ano passado.

No que toca à nova liderança do Secretariado Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Zacarias Albano, o governante português agradeceu ao Estado timorense.

“Diz respeito à CPLP, a nossa comunidade. Agora, Timor propõe o Secretário Executivo de entre a comunidade de língua portuguesa e, por isso, agradecemos”, avançou.

A ministra Adaljiza Magno afirmou que o novo secretário da CPLP tem experiência para liderar esta organização.

“Acredito que o senhor Zacarias Albano vai fazer um excelente trabalho como Secretário Executivo da CPLP”, referiu.

Este secretariado rege administrativamente a CPLP e tem as funções de estudar, escolher e implementar planos políticos para a organização.

De acordo com o artigo n.º 18 do estatuto da entidade, “o Secretário Executivo é uma alta personalidade de um dos Estados membros da CPLP, eleito pela Conferência de Chefes de Estado e/ou de Governo, para um mandato de dois anos, mediante candidatura apresentada rotativamente pelos Estados membros por ordem alfabética crescente”.

Notícia relevante: Embaixada timorense em Portugal apresenta problema de passaportes caducados a delegação de Timor-Leste

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!