iklan

ECONOMIA, NOTÍCIAS DE HOJE

CAFI reuniu-se para acelerar projeto de alargamento da estrada entre Comoro e Tasi-Tolu

CAFI reuniu-se para acelerar projeto de alargamento da estrada entre Comoro e Tasi-Tolu

O Vice-Primeiro-Ministro e Ministro do Plano e Ordenamento (MPO), José Maria dos Rei. Imagem TATOLI/Egas Cristovão

DÍLI, 27 de abril de 2021 (TATOLI) – O Conselho de Administração do Fundo de Infraestruturas (CAFI) reuniu-se esta terça-feira (27/04) para discutir a alocação de um fundo de empréstimo para acelerar o projeto de construção e alargamento da estrada que liga a rotunda de Comoro a Tasi-Tolu.

Segundo o presidente do CAFI, José Reis, o projeto faz parte de um dos requisitos que constam do projeto de construção do Porto de Tibar.

“Tentamos acelerar a realização deste projeto, pois a construção do Porto de Tibar será concluída em maio do próximo ano”, disse José Reis, esta terça-feira (27/04), aos jornalistas, à margem do seu encontro, no salão do Ministério das Finanças, em Aitarak-Laran, Díli.

O atual Vice-Primeiro-Ministro e Ministro do Plano e Ordenamento referiu ainda que foram já dadas instruções à equipa técnica para agilizar o processo de pagamento aos residentes afetados pela construção deste projeto. Cerca de oito moradores ainda não receberam o devido pagamento bem com a Escola de São Miguel Arcanjo.

Recorde-se que dos requisitos para a aquisição de um empréstimo ao Banco de Desenvolvimento Asiático (ADB, sigla em inglês) constam, entre outros, a resolução da questão relativa aos habitantes afetados pelo projeto e a obtenção de uma licença ambiental.

Já o diretor-geral do Ministério das Obras Públicas (MOP), Rui Hernâni, disse que o ministério responsável pelo projeto deu por concluída a terceira fase do processo de indemnização a 144 agregados familiares afetados diretamente pelas obras.

“Devemos em primeiro lugar resolver a questão relacionada com a indemnização de acordo com o plano traçado. Restam ainda indemnizar oito agregados familiares afetados. Será feito o pagamento na fase seguinte. O processo está em curso a cargo da Direção de Terras e Propriedades do Ministério da Justiça”, disse o diretor.

“A seguir teremos de efetuar uma negociação com a direção da Escola de São Miguel. A nossa Direção procedeu à alteração do preço. Peço, como tal, aos indemnizados que abandonam os seus terrenos para então darmos início às obras de construção”, referiu o diretor-geral.

Rui Hernani esclareceu de igual modo que o custo total da indemnização, entre a 1.ª e a 3ª fase, rondou os 1,6 milhões de dólares americanos.

“Na primeira fase, foi pago em setembro de 2020 um valor de 679 mil dólares aos 46 habitantes afetados. Na segunda fase, o pagamento destinou-se a 65 afetados que receberam um total de 846 mil dólares. Quanto à terceira fase, em novembro do mesmo ano, efetuamos o pagamento a 23 afetados num montante de 131 mil dólares americanos”, afirmou Rui Hernâni.

O responsável, lembrou, por último, que a estrada que liga a rotunda de Comoro a Tasi-Tolu tem uma distância de dois quilómetros. Quanto ao processo de alargamento da estrada de Tasi-Tolu a Tibar, Rui Hernâni referiu que está a cargo da empresa internacional chinesa, Wuyi, cuja obra arrancou a 28 de fevereiro e concluída em outubro de 2019 num montante superior a 12 milhões de dólares americanos.

Jornalista: Florêncio Miranda Ximenes

Editora: Júlia Chatarina

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!