iklan

INTERNACIONAL, DÍLI, NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA, NOTÍCIAS DE HOJE

Conselho de Ministros aprova Resolução sobre extinção de grupos de Artes Marciais

Conselho de Ministros aprova Resolução sobre extinção de grupos de Artes Marciais

DÍLI, 19 fevereiro de 2020 (TATOLI) – O Conselho de Ministros aprovou, nesta quarta-feira, a proposta de Resolução do Governo para a revogação da Resolução do Governo no 16/2013, de 10 de julho, sobre a extinção de grupos de artes marciais (GAM).

O Ministro da Reforma Legislativa e Assuntos Parlamentares, Fidélis Manuel Leite Magalhães, disse que o diploma legal instrui também a Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) para que reforce as ações de combate ao crime no que diz respeito à prática ilícita de artes marciais e de rituais.

“O Governo pediu também à PNTL para intensificar as ações de combate ao crime relativamente às práticas ilícitas desencadeadas por grupos de artes marciais e de rituais. Então, o que diz esta resolução é que as artes marciais podem ser praticadas apenas com base na lei nº. 5 sobre armas brancas e artes marciais”, afirmou em declarações aos jornalistas, o ministro, no Palácio do Governo.

Recorde-se que a 2 de julho de 2013, o Conselho de Ministros, em reunião extraordinária, tinha aprovado a Resolução do Governo no 16/2013 sobre a extinção dos GAM que determinou a extinção dos grupos Persaudaraan Setia Hati Teratai (PSHT), Ikatan Kera Sakti (IKS) e Klibur Oan Rai-Klaran (KORK) bem como a proibição de toda e qualquer atividade ilegal associada aos GAM.

A aprovação desta resolução permitiu que fossem adotadas diversas medidas para repor a ordem pública e, ao mesmo tempo, garantir a segurança no seio da população.

Mais tarde, o Parlamento Nacional (PN) aprovaria, a 6 de março de 2017, a lei nº. 5/2017 que define o regime jurídico relativo à prática de atividades ligadas às artes marciais e rituais, armas brancas, incluindo o uso de setas.

O PN atualizaria, no mesmo ano, a lei em causa com a finalidade de ser criada a Comissão Reguladora das Artes Marciais (CRAM), tutelada pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto (SEJD), para criminalizar qualquer prática ilícita associada a grupos de artes marciais e rituais.

A CRAM foi criada com base na lei nº. 10/2008, a 16 de julho, com o objetivo de regularizar as atividades desenvolvidas por grupos de artes marciais de modo a que a lei fosse cumprida, assegurando, deste modo, a paz e a estabilidade do país.

Já a 26 de abril de 2019, a comissão juntamente com o SEJD, Nélio Isaac Sarmento, deram a conhecer todo o trabalho realizado pela comissão durante o período de dez anos. Foram, além disso, apresentadas ao Presidente da República, Francisco Guterres ‘Lú Olo’, recomendações relativas aos GAM.

A CRAM apelou, na altura, a todas as organizações competentes para que não permitissem a reativação dos grupos de artes marciais que atuassem de forma ilegal.

O Presidente da República pretende, entretanto, reunir-se com o Primeiro-Ministro para abordarem a questão que envolve grupos ilegais de artes marciais.

Jornalista : Antónia Gusmão
Editora : Julia Chatarina

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!