iklan

INTERNACIONAL, NOTÍCIAS DE HOJE

Hotel de 5 estrelas, centro de convenções e residência universitária na mira de encontro de alto nível

Hotel de 5 estrelas, centro de convenções e residência universitária na mira de encontro de alto nível

Encontro entre José Ramos Horta e o Presidente dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi. Foto/PR

ABU DHABI, 15 de outubro de 2023 (TATOLI) –  Um hotel de 5 estrelas, um centro de convenções e uma residência universitária poderão ser os futuros frutos de um encontro entre José Ramos Horta e o Presidente dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe herdeiro de Abu Dhabi.

No encontro, porém, debateram-se temas mais vastos, sobretudo sob a capa da cooperação em vários setores especialmente nos domínios da economia, do comércio e do investimento, para além da sustentabilidade e da ação climática. Ambas as partes manifestaram o seu grande interesse em acelerar o desenvolvimento das relações bilaterais e em alcançar um desenvolvimento sustentável e uma situação de prosperidade para os seus povos.

No encontro, que teve lugar no Qasr Al Shati, em Abu Dhabi, os dois líderes abordaram também a importância da Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP28), a que os EAU vão presidir este ano. A este respeito, sublinharam a importância da ação climática global e da identificação de soluções práticas para fazer face às alterações climáticas.

As duas partes trocaram pontos de vista sobre vários desenvolvimentos regionais e internacionais de interesse mútuo. Sublinharam a importância de promover os valores da tolerância, da coexistência, da cooperação e da fraternidade humana, afirmando a necessidade de esforços internacionais conjuntos para garantir a paz, a estabilidade e o desenvolvimento a nível regional e mundial, a fim de preparar o caminho para um futuro mais risonho para as gerações vindouras.

Segundo Ramos Horta, “o príncipe de Abu Dhabi é um homem determinado e simpático e manifestou a sua prontidão em investir em Timor-Leste”, acrescentando que o conhece  desde 2021 quando foi um dos júris internacionais para o prémio da Fraternidade Humana que decorreu em Abu Dhabi.

No que toca às infraestruturas acima referidas, e a propósito da adesão do país à Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), o Chefe de Estado destacou a construção de “um hotel cinco estrelas” e de “um centro de convenções” apropriados a receber eventos daquela organização. No entendimento de Ramos Horta é possível angariar fundos para tais valências através de uma oferta, empréstimos ou mesmo de uma parceria público-privada junto de empresas de Abu Dhabi. Qualquer que seja o formato financeiro, o Chefe de Estado assinalou que “Abu Dhabi manifestou-se disponível para apoiar Timor-Leste, por isso precisamos de criar condições para o investimento”.

Tendo surgido na conversa, e a título de curiosidade, Ramos Horta referiu ainda a criação de veados em Timor-Leste para exclusiva exportação para o Abu Dhabi. O Presidente vai colocar a possibilidade à consideração do Primeiro-Ministro, Xanana Gusmão, e dos seus vice-primeiros-ministros.

Ramos Horta revelou que fez um pedido ao Príncipe Mohammed bin Zayed Al Nahyan: “Disse-lhe que tinha apenas um pedido, o restante seria via investimento ou empréstimo. Depois de lhe explicar as condições em que vivem muitos dos nossos estudantes, disse-lhe: por favor, construa uma residência universitária para os estudantes provenientes de áreas remotas”.

“Após abordarmos esta questão, [o príncipe] concordou. Depois do encontro disse-me que nos vai apoiar. Ainda lhe disse que poderia enviar um carta para formalizar o pedido, ao que me respondeu que não seria necessário. Tenho a certeza de que vai construir uma residência universitária”.

Apesar de ser um país relativamente pequeno em termos de território e população, os Emirados Árabes Unidos são, económica e comercialmente, uma das grandes potências do Médio Oriente, na qual 80% da população são imigrantes, ou seja, numa população de 10,4 milhões, 8,3 são estrangeiros. É um país em forte expansão em termos de infraestruturas civis e continuamente a necessitar de mão-de-obra estrangeira, facto a que jovens timorenses que queiram emigrar não estarão alheios. Por tal, na mira de uma maior cooperação está o estabelecimento, em fevereiro de 2024, de um consulado-geral timorense naquele país.

Para o efeito, segundo Ramos Horta, o Ministério dos Negócios Estrangeiros já alocou um orçamento para a criação de uma embaixada, estando já, por parte dos EAU, a ser escolhido um local para esse fim. O Chefe de Estado, juntamente com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, vai nomear um embaixador diligente e dedicado ao trabalho diplomático, com experiência e formação académica adequadas.

Jornalista: Nelson de Sousa

Editor: Cancio Ximenes/Tradutora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!