iklan

HEADLINE, NACIONAL, NOTÍCIAS DE HOJE

Amândio Benevides será sepultado no cemitério de Becusse

Amândio Benevides será sepultado no cemitério de Becusse

Ministro da Justiça, Amândio de Sá Benevides. Foto da Tatoli/Egas Cristóvão.

DÍLI, 21 de janeiro de 2024 (TATOLI) – O cortejo fúnebre do Ministro da Justiça, Amândio de Sá Benevides, sairá da sua residência, em Comoro, pelas 13h, para percorrer as ruas de Díli até à sede do partido do CNRT. Depois de passar pelo Ministério da Justiça, a urna será transportada até à Igreja da Catedral, em Vila-Verde, onde se realizará uma missa de requiem por volta das 16h. Os restos mortais serão sepultados no cemitério público de Becusse, em Díli, segundo declarações do representante da família, Rui Martins.

Foram vários os membros do Governo que se dirigiram hoje à residência de Amândio de Sá Benevides para endereçar à família do ministro sentidas condolências, entre eles, esteve presente o Primeiro-Ministro, Xanana Gusmão.

O Vice-Primeiro-Ministro, Mariano ‘Assanami’ Sabino, lamentou a morte do Ministro da Justiça, considerando que esta é uma perda para todos os timorenses. “Perdemos um bom juiz, um profissional experiente que, desde o Governo transitório da UNTAET [Administração Transitória das Nações Unidas], contribuiu ativamente para o estabelecimento do sistema judicial timorense. Timor-Leste perde um profissional que se dedicou de alma e coração ao povo e ao país”.

Também o Ministro da Presidência do Conselho de Ministros e Porta-voz do Governo, Agio Pereira, manifestou o seu profundo pesar pela perda de um “notável jurista” e “funcionário público dedicado”, expressando as suas mais sentidas condolências à família enlutada e a todos os timorenses que partilham este momento de luto.

“Amândio de Sá Benevides será recordado não apenas pela sua competência profissional, mas também pelo seu inabalável empenho na justiça e no respeito pelos direitos humanos em Timor-Leste”, lê-se no comunicado do Governo a que a Tatoli teve acesso.

Biografia de Amândio de Sá Benevides

Amândio de Sá Benevides, nascido a 16 de julho de 1964, no município de Ainaro, destacou-se como advogado, dando um contributo significativo para o desenvolvimento jurídico para a promoção dos direitos humanos no país.

Após concluir os seus estudos em direito constitucional na Universidade Nusa Cendana em Kupang, na Indonésia, Benevides regressou a Díli, onde exerceu advocacia entre 1991 e 1993. De 1993 a 1999 foi funcionário público, tendo frequentado neste período diversos cursos nas em administração e gestão públicas.

No período da UNTAET, tornou-se um dos primeiros Procuradores Públicos timorenses, assumindo funções sob a tutela do Administrador Sérgio Vieira de Mello em fevereiro de 2000. Foi nomeado Procurador-Geral Adjunto para os Crimes Comuns em 2001 até 2005.

Ainda em 2005, concluiu um curso de pós-graduação em Estudos Anticorrupção na Hong Kong Space University, na China. Entre 2005 e 2010, assumiu o cargo de Provedor-Adjunto da Provedoria dos Direitos Humanos e Justiça.

Em 2017, recebeu um louvor do então Presidente da Assembleia da República, Adérito Hugo da Costa, pelo seu trabalho como assessor jurídico, em reconhecimento “pela excelente e qualificada colaboração prestada, pela competência, dedicação, zelo e lealdade manifestados no exercício dessas funções, fruto de uma vasta e relevante carreira como jurista e em diversas áreas do direito”.

Amândio de Sá Benevides faleceu ontem, dia 20, aos 59 anos, vítima de problemas cardíacos.

Notícia relacionada: Morreu Ministro da Justiça

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!