iklan

ECONOMIA, DÍLI

Acordo ítalo-timorense permitirá exploração de gás no mar de Timor

Acordo ítalo-timorense permitirá exploração de gás no mar de Timor

ANP e a petrolífera italiana ENI formalizaram um contrato de partilha de exploração e de produção de reservas de gás no Mar de Timor. Foto da Tatoli/António Daciparu

DÍLI, 14 de dezembro de 2023 (TATOLI) – A Autoridade Nacional do Petróleo (ANP), em representação do Estado timorense, e a petrolífera italiana ENI formalizaram um contrato de partilha de exploração e de produção de reservas de gás no Mar de Timor, no campo TL-SO-22-23, Bloco P, localizado perto do campo Greater Sunrise e da zona do Chuditch, na Austrália.

Chuditch é, a título de informação, uma zona marítima já explorada previamente em termos de recursos petrolíferos. Está localizada aproximadamente a 185 km a sul de Timor-Leste, a 100 km a leste do campo produtor de Bayu-Undan e a 50 km a sul do potencial desenvolvimento do Greater Sunrise.

O Ministro do Petróleo e dos Recursos Minerais, Francisco Monteiro, agradeceu à petrolífera italiana o interesse e empenho na exploração de recursos naturais no Mar de Timor. O governante explicou que o contrato hoje formalizado visa levar a cabo uma exploração preliminar que, segundo indicações, tem potenciais reservas de recursos naturais, mas “necessita de sondagens exploratórias mais aprofundadas”.

“Esta [assinatura] é para a fase de conclusão do estudo e para o processamento de dados sísmicos por um período de três anos. Caso se descubra uma reserva de petróleo, avançaremos para a fase seguinte, a fase da perfuração”, afirmou o governante à margem da cerimónia que decorreu no Hotel Timor, em Díli.

Questionado sobre os custos operacionais e de investimento do projeto, Francisco Monteiro respondeu que aqueles são da responsabilidade da ENI, frisando que “o mais importante é que se efetuem estudos sísmicos, processamento e perfuração”.

Francisco Monteiro explicou que desde que a Austrália e Timor-Leste assinaram o Tratado Histórico das fronteiras marítimas, em 2018, o país tem tido a oportunidade de promover os recursos naturais existentes, fazendo com que investidores estrangeiros sejam atraídos a Timor-Leste, como é o caso da ENI e de outras empresas.

“Esta iniciativa destina-se a confirmar e a reafirmar os nossos planos de encontrar novas potencialidades como fonte complementar para o futuro desenvolvimento do campo petrolífero Greater Sunrise, a fim de gerar receitas para o país”, concluiu.

Por sua vez, o representante da ENI, Denis Palermo, referiu que esta parceria visa a realização de um programa de exploração em grande escala de modo a criar condições para uma produção que, se bem-sucedida, trará benefícios para Timor-Leste e para a empresa. “Basicamente, iniciamos todo o planeamento, no qual se inclui a escolha das técnicas necessárias para realizarmos a exploração. Esperamos encontrar grandes descobertas, que tragam benefícios para nós e também para o povo timorense. É apenas o início de um projeto e há sempre riscos. Esperamos poder fazer grandes descobertas”.

Notícia relacionada: Nove empresas pré-selecionadas no concurso público para exploração de petróleo e gás natural liquefeito

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!