iklan

ECONOMIA, DÍLI, NOTÍCIAS DE HOJE

Diminuiu o acesso de timorenses a serviços financeiros  

Diminuiu o acesso de timorenses a serviços financeiros  

DÍLI, 21 de junho de 2023 (TATOLI) – O Banco Central de Timor-Leste (BCTL) divulgou um relatório de inclusão financeira de 2022 com o tema Preparando-se para o próximo avanço digital. Um dos dados mais relevantes que o documento revela é que atualmente apenas 64% da população adulta têm acesso a serviços financeiros (bancos e outras instituições), percentagem inferior à constatada em 2020, na altura no patamar dos 68%.

No documento refere-se o panorama e as mudanças necessárias para operacionalizar uma revolução digital sobre os prestadores de serviços financeiros, incluindo aquelas que o próprio Banco estatal (BNCTL), autor do documento, deve recriar nos seus processos, sistemas eletrónicos, formas de trabalho e relação com os clientes, de modo a acompanhar as mudanças tecnológicas que rapidamente se estão a operar na área digital.

O relatório também mostra indicadores de melhoria nos principais indicadores de inclusão financeira, apesar da constatação de obstáculos persistentes no que toca à falta de literacia financeira e digital. Estes, no dizer do documento, conduzem a uma baixa adesão a serviços financeiros, mesmo quando disponíveis, uma vez que muitas pessoas não compreendem os benefícios dos serviços financeiros ou a forma de os utilizar eficazmente.

“Cerca de 65% das mulheres têm acesso a serviços financeiros, sendo que 10% daquelas tendem a utilizar outras instituições como depositárias (ODTI) de valores. Comparando com os homens, os valores são, respetivamente, 62% e 2%”, refere o relatório do BCTL a que a Tatoli teve acesso.

Opostamente, o relatório mostra que 27% dos homens são mais propensos a utilizar cartões bancários de débito em máquinas ATM (Automated Teller Machine, em inglês), enquanto as mulheres se ficam pelos 18%.

No que toca à proliferação de pontos de acesso a serviços bancários, o documento indica que, no ano passado, foram estabelecidos 603 concentrados em áreas populosas. Nestes termos, se em 2018 havia 194 sucos sem acesso a serviços bancários, em 2022 aquele número reduziu-se para 29, aponta o relatório.

Entre outros dados, de acordo com o relatório, e no tocante ao acesso a serviços financeiros (entre máquinas ATM, agências bancárias ou outras instituições), os municípios que mais se destacam são Díli (com Ataúro), pela positiva, onde 94% da população adulta têm acesso a serviços financeiros e Ermera e Lautém, pela negativa, com valores de 44% e 34% respetivamente.

Jornalista: Afonso do Rosário

Editora: Isaura Lemos de Deus

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!