iklan

HEADLINE, NOTÍCIAS DE HOJE, SAÚDE

Método genético para combate ao dengue arranca em junho

Método genético para combate ao dengue arranca em junho

Diretor Nacional da Saúde Pública, Frederico Bosco. Imagem Tatoli/Francisco Sony.

DÍLI, 28 de fevereiro de 2023 (TATOLI) –  A World Mosquito Program da Austrália e a Escola Australiana de Investigação em Saúde Menzies vão apoiar o Ministério da Saúde (MS) com 2,5 milhões de dólares americanos para introduzir, em junho, um método para combate ao dengue em Timor-Leste.

O método consiste na introdução de mosquitos fêmeas com uma bactéria, a Wolbachia, visando que estas, acasalando com mosquitos machos, gerem uma prole de mosquitos com uma variação genética que não transmite o vírus do dengue ou o transmite com menor prevalência.

“Os parceiros, a World Mosquito Program, da Austrália, e a Escola Australiana de Investigação em Saúde Menzies disponibilizam 2,5 milhões de dólares para implementar o cruzamento da Wolbachia“, afirmou o Diretor Nacional da Saúde Pública, Frederico Bosco, em Caicoli.

O custo total deste programa dada a especificidade de Timor-Leste, está, porém, na ordem dos 4,7 milhões de dólares. Não tendo disponível o valor necessário, o MS vai, por isso, apresentar uma proposta aos parceiros no sentido de obter uma doação para o dinheiro em falta.

O diretor explicou ainda que o uso da bactéria Wolbachia foi feito na Austrália. Anteriormente, Timor-Leste já tinha introduzido mosquitos Aedes aegypti, visando que estes se cruzassem com fêmeas portadoras da bactéria Wolbachia.

Frederico Bosco informou ainda que a bactéria Wolbachia vai ser inicialmente introduzida via projeto-piloto durante um período de dois anos.

“A introdução da bactéria vai começar no posto administrativo de Dom Aleixo, em Comoro, pois é um local do risco do dengue. A implementação do programa envolve o cruzamento de linhas ministeriais, como as ligadas aos ministérios da Agricultura e Pescas, da Educação, Juventude e Desporto e da Saúde”, disse o diretor.

A Ministra da Saúde, Odete Freitas, tinha dito que o método pretende cruzar o mosquito Aedes aegypti com a fêmea portadora da bactéria Wolbachia. A ideia é trazer para o país os seus ovos e colocá-los onde o dengue seja, pelos dados, mais prevalente, uma vez que a bactéria pode neutralizar a transmissão do vírus.

Notícia relevante: Timor-Leste implementa cruzamento da bactéria Wolbachia no próximo mês

Jornalista: Jesuína Xavier

Editora: Maria Auxiliadora

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!