iklan

NOTÍCIAS DE HOJE, SAÚDE

Horta rejeita informações de mortes causadas pela vacina contra covid-19

Horta rejeita informações de mortes causadas pela vacina contra covid-19

Ex-Presidente da República, José Ramos Horta. Imagem da Tatoli/Egas Cristóvão.

DÍLI, 01 de junho de 2021 (TATOLI) – O ex-Presidente da República de Timor-Leste José Ramos Horta lamentou e rejeitou as informações de que pessoas terão morrido depois de terem sido vacinadas contra a covid-19.

“Algumas pessoas disseram que a vacinação pode provocar a morte. Esta afirmação é falsa. A verdade é que aquelas que perderam a vida foi por causa de acidentes vasculares cerebrais, não da vacina”, afirmou Horta, à margem de uma reunião com o Primeiro-Ministro, Taur Matan Ruak, no Farol, Díli.

Horta encorajou, como tal, todos os cidadãos a tomarem a vacina para a prevenção do vírus, garantindo, desta forma, o regresso à normalidade.

“Peço a toda a população que proteja este país e povo. Por isso, deve vacinar-se”, apelou.

Segundo Horta, alguns países apoiaram Timor-Leste com a vacina da AstraZeneca “não por uma mera brincadeira nem para perder o tempo”.

O Nobel da Paz referiu, de igual modo, que os cidadãos de outros países procuram a vacina, enquanto os timorenses a rejeitam devido à campanha contra a vacinação.

“Recebi já a primeira dose da vacina. Em breve, administrarei a segunda. Nos Estados Unidos da América, como nos restantes países, 70% da população foi já inoculada. As pessoas de outras nações procuram a vacina, mas, em Timor, realizam campanhas para a rejeitar. Não sei qual é a intenção”, referiu.

Horta lembrou igualmente a necessidade da administração da segunda dose, uma vez que “a vacina é 90% eficaz contra a covid-19”.

O ex-Chefe de Estado recordou ainda a discussão sobre o problema com Taur Matan Ruak no encontro que tiveram.

“Marquei uma audiência com o Primeiro-Ministro para debater a importância da vacinação contra a covid-19, porque quero coordenar-me com outros países para a transferência das vacinas para o país, combatendo, desta forma, o risco de contágio da doença”, acrescentou.

Defende também que, para evitar e reduzir o risco da propagação do novo coronavírus, o Governo necessita de acelerar a vacinação.

“Existem informações de que o número de casos de covid-19 na Malásia é superior ao da Índia. Este número assemelha-se ao nosso. Devemos, por isso, acelerar a administração da vacina”, sublinhou.

Ramos Horta elogiou, por último, o trabalho do Ministério da Saúde pelo número de vacinações em Timor-Leste.

Jornalista: Antónia Gusmão/Tradutora: Isaura Lemos

Editora: Júlia Chatarina

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!