iklan

ÚLTIMAS NOTÍCIAS, INTERNACIONAL, DÍLI, NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA, NOTÍCIAS DE HOJE

MJ e MNEC discutem relações de reciprocidade entre embaixadas

MJ e MNEC discutem relações de reciprocidade entre embaixadas

Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC), Adaljiza Magno. Imagem/Egas Cristovão.

DÍLI, 07 de agosto de 2020 (TATOLI) – Os ministérios da Justiça e dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MNEC) discutiram hoje a questão da reciprocidade entre as embaixadas timorenses no estrangeiro e as estrangeiras em Timor-Leste.

“Os países aliados em Timor-Leste [embaixadas] receberam apoio por parte  do Governo, sendo-lhes  atribuído um  contrato de arrendamento e um espaço para a construção  das suas embaixadas. Estamos, por isso, a discutir este assunto como o intuito de as embaixadas timorenses no estrangeiros poderem adquirir as mesmas regalias”, disse o Ministro da Justiça, à Agência Tatoli, no seu local de trabalho, na Praia dos Coqueiros, em Díli.

O Ministério da Justiça revelou ainda que, em relação às novas instalações de embaixadas timorenses na diáspora, a Ministra do MNEC, Adaljiza Magno,  sugeriu aos diplomatas que iniciassem a discussão das relações de reciprocidade entre as diferentes embaixadas.

 Também a Ministra do MNEC, Adaljiza Magno, sublinhou ainda que o encontro teve como objetivo procurar soluções viáveis sobre a questão em causa.

“Falámos sobre a atribuição de locais para as embaixadas com sede em Timor-Leste, na medida em que alguns países pediram que fossem construídos  novos edifícios, enquanto outros procuram um lugar para instalar a sua embaixada em Timor-Leste”, disse a ministra.

A ministra salientou ainda que a Embaixada dos Estado Unidos em Timor-Leste solicitou ao Governo timorense que seja estendido o contrato relativo à residência da sua embaixada, localizada na Praia dos Coqueiros.

“Falámos sobre a questão que envolve a reciprocidade entre as duas embaixadas. Como o Governo timorense concedeu vantagens à embaixada dos Estados Unidos da América em Timor-Leste, nós pedimos, de igual modo, que deem condições à embaixada timorense em Washington”, afirmou.

Adaljiza Magno lembrou ainda que, no que toca ao processo de extensão, segundo a lei de Timor-Leste, o Estado concedeu um contrato até 100 anos, mas, até à data, o Governo e a embaixada americana em Timor-Leste apenas viram estender o contrato de arrendamento por um período de 50 anos”, referiu.

Jornalista: Domingos Piedade Freitas

Editor: Zezito Silva

iklan
iklan

Leave a Reply

iklan
error: Content is protected !!